quinta-feira, 25 de novembro de 2010

INIBIDORES DA COMT

       A catecol-O-metil transferase é uma enzima relacionada ao metabolismo das catecolaminas, não possuindo substrato específico. Está presente em diversos tecidos, sendo as maiores concentrações em fígado e rins. No sistema dopaminérgico, a COMT age na levodopa produzindo 3-O-metildopa (3OMD). Estes fármacos inibem a catecol-O-metiltransferase (COMT), prolongando o tempo de permanência da dopamina na fenda sináptica.


           

       Características:


·         Não são eficazes quando aplicados em monoterapia;

·         Requerem a administração de L-Dopa;

·         Provaram aliviar a deterioração de fim de dose e aumentar o tempo em «on» 1 a 2 horas;

·         Está por isso indicada como adjuvante da terapêutica com L-Dopa e inibidores da descarboxilase periférica, em doentes com doença de Parkinson e flutuações motoras «wearing off»;

·         Devido à hepatotoxicidade grave, a Tolcapona encontra-se actualmente suspensa na Europa;

·         Quando administrados, podem agravar as discinésias, obrigando ao ajuste da dose de L-Dopa (redução de 20 a 30%);

·         Apresenta possiveis interacções adversas com antidepressores tricíclicos, maprotilina, iMAO e venlafaxina;

·         O ferro reduz a absorção da entacapona.




       Está contra-indicada:

  ·         Gravidez;

  ·         Aleitamento;

  ·         Disfunção hepática;

  ·         Feocromocitoma;

  ·         História de síndroma maligno dos neurolépticos;

  ·         Rabdomiólise não traumática.






      Os efeitos adversos dos inibidores da COMT podem ser definidos em quatro grupos:

Efeitos dopaminérgicos - discinesia é o efeito colateral mais comum. Ocorre pelo aumento da biodisponibilidade da levodopa e pode ser minimizado com a redução da mesma. Outros sintomas associados são confusão mental, psicose e alucinações;



Sintomas gastrointestinais - náuseas, vómitos, anorexia, dor epigástrica, flatulência, diarreia. Foram observadas também elevações de transaminases hepáticas que normalizaram com a suspensão da droga. Há relato de hepatite fulminante após o uso de tolcapone. Devido a esse fato, recomenda-se a solicitação de testes de função hepática a intervalos periódicos;




Hipotensão postural

Outros sintomas - cãibras, sonolência, cefaleia.


Exemplos de Fármacos:
Entacapona (COMTAN®) e Tolcapona
Bibliografia:


http://www.google.pt/images?hl=pt-pt&q=bioquimica%20da%20doen%C3%A7a%20de%20parkinson&um=1&ie=UTF-8&source=og&sa=N&tab=wi&biw=1280&bih=558

Sem comentários:

Enviar um comentário